domingo, 21 de outubro de 2012

Não existe misoginia

Meu trabalho acadêmico acabou tomando um rumo que eu não esperava. Ao longo da pesquisa, topei com a questão de gênero, algo que eu não planejava abordar no mestrado.

Como tudo começou? Bem, minha ideia era fazer um trabalho sobre vampiros, mas eu precisava fazer um recorte. Meu orientador sugeriu que eu escolhesse focar em vampiras. E foi aí que tudo começou. Focar em vampiras tornou inevitável pensar em relações de gênero e criações culturais em torno da sexualidade. Daí até chegar à misoginia foi um pulo.

O fato é que sou feminista assumida. Essa inquietação é minha desde a infância, quando me diziam que eu não podia me sujar brincando porque “parecia um moleque”. Então eu cheguei à adolescência e escutei minhas amigas dizerem que eu não podia transar logo de cara com os rapazes se eu quisesse namorar. Porque os caras não respeitam as moças que fazem sexo no início da relação. E eu pensava: “Como assim? Eu tenho que bancar a assexuada para ganhar o respeito dos homens? Mas eles podem tentar transar comigo logo de cara que não vão perder meu respeito, é isso? Bem, eu vou fazer o que eu sentir vontade. E quem vier me julgar vai perder o meu respeito. Porque os direitos sobre a sexualidade devem ser iguais para ambos os gêneros.”

A garota cresceu e hoje é uma mulher adulta extremamente forte. Não vou dizer que foi fácil. Não foi mesmo. Sofri muito, mas aceitei pagar o preço. Sabe por quê? Porque nada vale o meu direito de escolha. Por nada nesse mundo eu aceitaria fingir ser quem não sou. Sim, fui muito julgada. Mas quem paga minha contas sou eu. Então, se alguém deseja se referir a mim com um daqueles termos que denigrem as mulheres pela conduta sexual... Saiba que eu não tenho nenhum respeito por alguém que julgue uma mulher pela conduta sexual, tampouco vou me ofender.

A verdade continua sendo a mesma, após tantos anos de luta feminista: Se um homem transa com “muitas” parceiras, as mulheres não deixam de considerar se envolver com ele. Mas se uma mulher transa com “muitos” parceiros, os homens (e mulheres) a consideram imprestável. Todo esse julgamento de caráter em torno da sexualidade feminina é tão entranhado em nossa sociedade, que as pessoas o fazem naturalmente, sem sequer se dar conta. Até a voz do GPS, por ser feminina, recebe o rótulo de “vadia” quando dá direções equivocadas. Pois é, já é “normal”.

Eu sou feminista, não sou misândrica. É bom frisar que tenho vários amigos do gênero masculino e tenho o maior respeito e consideração por todos eles. Não sou a favor de ideias sexistas. Não concordo com piadas baseadas em ideias prontas sobre homens e mulheres. Não gosto de piada que ridiculariza o gênero masculino da mesma forma que não gosto de piada que ridiculariza o gênero feminino.

Quando eu era criança, os meninos tentavam me tolher. Ficavam me assediando quando eu empinava pipa, me ridicularizando quando eu jogava futebol e diziam: “Menina, não atrapalha!” quando eu andava de bike. Mas eu nunca tive vontade de matar nenhum deles. Nem quero destruir as possibilidades de sucesso e felicidade deles. Sofri bullying na escola, mas nunca peguei uma arma e saí atirando aleatoriamente por aí.

Só que existem homens que têm raiva de mulheres porque... Sei lá. Alegam que foram maltratados pela mãe ou que levaram um fora alguma vez. Eu não conheço ninguém que jamais tenha sofrido por amor. Todo mundo passa por alguma desilusão amorosa em algum momento da vida. É normal. É igual ser recusado(a) num emprego, ou ser demitido(a), ou não passar no vestibular. Em algum momento vai acontecer.

Na adolescência, conheci um cara que nunca se dava bem. Ele era obeso, já estava ficando calvo aos 20 anos, não gostava de estudar e não trabalhava. Mesmo assim, ele dizia abertamente que queria arranjar uma namorada loira de cabelo liso, olhos azuis, magra e alta. O cara não é atraente nem interessante, mesmo assim, ele tem fantasia de ter uma namorada dentro do padrão de beleza máximo de nossa sociedade. Tem alguma coisa muito errada aí, né?

Pois é. Existe um discurso social velado de que homens não precisam ser especiais para terem namoradas especiais. Eles podem ser uns ogros escrotos e quererem ter namoradas lindas e jovens. Mas as mulheres não, elas precisam ser sempre impecavelmente belas. Sabe por quê? Porque o direito de escolha é masculino. É por isso também que as meninas não podem dar em cima dos meninos desde a adolescência. Têm que esperar a abordagem deles, ou seja, serem escolhidas. Como objetos.

Homens estão acostumados a escolherem mulheres. Tem filme pornô com oriental, loira, ruiva, morena, negra, mulher mais velha, adolescente. Quando procuram por prostitutas, é a mesma lógica. Talvez por isso, alguns deles, quando escolhem e não veem a gatinha com um brilho nos olhos dando pulos de alegria pela honra, ficam bravos. Ficam com o orgulho ferido e uma forte sensação de injustiça.    

Claro que essa não é a única razão para que um homem odeie tanto as mulheres. Também conheci caras bonitões que tratavam as garotas como lixo. Não existe uma fórmula pronta. Mas com certeza, isso tem a ver com a forma como as sociedades de nosso mundo tratam as mulheres. Os meninos já recebem uma educação misógina desde a infância, e algumas das maiores vias de solidificação desses conceitos chegam através de produtos culturais difundidos pelas mídias, frequentemente por meio do humor e da pornografia.

Pra resolver esse problema de misoginia, é preciso mudar a cultura, o que envolve a mudança de muitas pessoas. Como isso não seria possível a curto prazo, o objetivo desse post é ajudar na identificação de misóginos para evitar o sofrimento de mulheres desavisadas. Para começo de conversa, o ideal é distinguir misoginia de machismo.

O que é machismo?

Segundo Wikipedia, machismo ou chauvinismo masculino é a crença de que os homens são superiores às mulheres. Trocando em miudinho. Pessoas machistas, independente do gênero, acreditam que homens são mais competentes, inteligentes, confiáveis, etc. Por exemplo, aquele cara que desceu do avião após ouvir a voz da comandante teve uma atitude machista. Ele realmente acredita que uma mulher não é capaz de pilotar um avião.

Não esqueçamos que o machismo se equilibra sobre o sexismo. Um de seus pressupostos é que “existem características comportamentais intrínsecas a determinado gênero, de modo que todas as pessoas deste gênero as possuem” (Wikipedia).

Ou seja, o machismo se justifica sobre uma série de dogmas a respeitos de homens e mulheres.

  • Todo homem é mulherengo;
  • Todo homem dirige bem;
  • Todo homem é forte;
  • Todo homem é emocionalmente estável e não chora;
  • Todo homem deve ganhar mais dinheiro que sua namorada/esposa;
  • O homem deve ser sempre mais velho que sua namorada/esposa;
  • O homem deve ser sempre mais alto que sua namorada/esposa;
  • Homens mais velhos são mais atraentes que mulheres mais velhas;

                                       ***

  • Toda mulher é manipuladora e traiçoeira;
  • Toda mulher é vingativa;
  • Toda mulher é frágil;
  • Mulheres amadurecem antes que os homens, portanto devem se relacionar com homens mais velhos;
  • Mulheres mais velhas são sempre feias;
  • Mulheres só fazem sexo por amor ou por dinheiro;
  • Toda mulher dirige mal;
  • Mulheres são burras e incompetentes;
  • O maior sonho de toda mulher é arranjar um marido que a sustente;
  • Toda mulher deseja ter filhos;
  • Mulheres são histéricas;
  • Mulheres devem fazer serviço doméstico ainda que trabalhem fora e/ou estudem;
  • Mulheres são vaidosas e contam com a aparência para obter o que desejam;

Com base em todos esses preceitos, o comportamento machista tem se solidificado ao longo dos anos nas sociedades.

Também segundo Wikipedia, misoginia é o ódio ou desprezo ao sexo feminino (mulheres ou meninas). Não posso afirmar que todo homem que age da forma que descreverei agora é misógino. Mas esse conjunto de características em geral aponta para um. Mulheres também podem ser misóginas. Mas vou falar especificamente aqui dos misóginos, porque tenho mais experiência com eles.

Por exemplo, aquele cara que atirou e matou nove meninas no massacre do Realengo alegando que elas eram seres impuros era um misógino. Felizmente, nem todo misógino vai tão longe. Mas vai bem longe.

Em São Paulo, acontece um estupro a cada 15 segundos. Não, você não leu errado, não. São 240 por hora e 5760 por dia. Mesmo. Numa próxima ocasião vou explicar direitinho o que é estupro, porque essas estatísticas abrangem violências sexuais de todos os tipos, mas somente as que são reportadas.

Por hora, sejamos francos(as). Não tem como um homem estuprar uma mulher sem ser misógino. O estupro é uma prática de violência ímpar, com graves consequências psicológicas para a vítima. Coagir alguém a servir como objeto sexual não visa simplesmente obtenção de prazer, mas a destruição dessa pessoa.

Todo misógino pratica algum tipo de agressão ou abuso sexual. É natural deles, é como eles vivem a sexualidade. O tesão deles vem de destruir mulheres. Pode ser que eles não parem quando a menina reclama de dor. Pode ser que eles não se preocupem em excitar a parceira antes de penetrá-la. Pode ser que eles gozem rapidinho e não se importem com o prazer da parceira. Mas de alguma forma eles vão abusar mulheres sexualmente. Portanto, tenha cuidado se ele se encaixa em uma ou mais das descrições abaixo:

Se ele tem fixação por sexo anal, especialmente pela ideia de provocar dor, mas considera desonroso que alguém rele no ânus dele. Se ele acha que o ânus dele é território proibido porque seria humilhante que alguém o tocasse ali, mas quer penetrar o seu com o pênis, que é muito mais grosso que um dedo...

Bem, ele pode achar que não tem problema humilhar mulheres porque elas são feitas pra isso mesmo, ou porque são inferiores. Ou ele pode achar divertido provocar dores e ferimentos no ânus feminino, o que revela uma certa tendência à destruição. Se ele fizer chantagens do tipo: "Se você não me der, não reclame depois que eu arranjar outra que dê"; deixe-o arranjar. E não transe com esse cara. Ele acha que as partes dos corpos de mulheres são objetos e nem faz diferença a quem pertencem. O importante é o cu, e não a proprietária do cu. Caia fora.  

Se ele não se importa com o seu prazer na relação sexual, isso é um péssimo sinal. Fazer sexo é compartilhar. Se ele não acha importante que você tenha prazer, ele quer apenas usar seu corpo. Poderia comprar uma daquelas bonecas na sex shop, só que acha você mais barata.

Então vamos combinar: se ele não se preocupa, não se esforça, não procura seu clitóris, te penetra antes de você se excitar, te penetra bruscamente, goza logo após a penetração e já sai de cima, não te beija, não toca seus seios, não faz sexo oral... Saia da relação já.

Misógino não tem namorada. Tem vítima.

Ele pode não te bater, não cometer o que se entende por violência no senso comum, que é a agressão física. Mas ele vai, com certeza, te agredir com palavras, humilhações e sexualmente, como já foi mencionado.

Agressão verbal inclui xingamentos tais como: puta, piranha, galinha, vaca, vagabunda, vadia, burra, desgraçada, inútil, chata, ameba, cobra, porca. Também inclui apelidos pejorativos que ele por ventura invente utilizando seu nome ou apelido.

Agressão psicológica inclui todo tipo de humilhação ou comportamento que te mantenha oprimida. Inclui afirmar que você está gorda, que precisa emagrecer ou fazer plástica, principalmente na frente de outras pessoas, insistir em fantasias sexuais que você não curte, inclusive obrigá-la a ver filme pornô, recusar-se a usar preservativo, ameaçar aborto caso você engravide, demonstrar achar que você deseja engravidar dele para receber pensão ou casar, rir de você na frente dos amigos, fazer piadas sobre você, fazer discurso sobre a inferioridade feminina, dar ordens para que você faça tarefas domésticas, grosserias.

Eu sei que é difícil perceber que um homem é abusivo quando se está apaixonada por ele, principalmente na adolescência. Mas preste atenção ao comportamento dele. Converse, pergunte sobre assuntos polêmicos e veja os comentários dele. Mencione um caso de estupro recentemente divulgado. Como ele reage? Sente empatia pela vítima? Não parece se importar? Culpa a vítima? Diz que não era estupro porque o agressor era o namorado dela, ou porque ela tinha ido à casa dele?

Comentários misóginos denunciam personalidade misógina. Lembre-se, homens misóginos acreditam que mulheres merecem ser maltratadas e até sentem prazer nisso. Principalmente se elas têm vida sexual ativa. Essas para eles são a escória. Eles só têm algum respeito pela própria mãe se acreditarem que ela só fez ou faz sexo com o pai deles.

Eu estou falando sobre misoginia porque ninguém fala sobre isso. As pessoas falam sobre ódio por negros, ódio por nordestinos, ódio por gays, mas ninguém fala sobre o ódio mais comum em nosso mundo, que é o ódio por mulheres.

Agora, se depois de eu ter falado tudo isso sobre misoginia, você achar que tudo bem porque seu namorado é "só" machista...

Ser machista é muito ruim. Ser machista significa que ele realmente acha que mulheres são inferiores aos homens. Você tem que ter em mente que uma mulher namorando ou transando com um homem machista é a mesma coisa que uma pessoa negra namorando alguém racista. Não faz sentido, não é mesmo? Imagine então um homossexual se relacionando com um homofóbico. Impossível, não? Então por que você vai se expor a esse risco? Como você vai se envolver afetivamente com alguém que se considera superior a você? Como você vai permitir que essa pessoa toque seu corpo? 

Tenha em mente que você merece o melhor. E o melhor não é um homem machista, muito menos misógino.

Para encerrar, vou deixar o link para esse vídeo no qual o comentarista Luiz Carlos Prates fala sobre o quanto a imprensa ignorou o caráter misógino do massacre do Realengo. Por incrível que pareça, um homem reacionário foi um dos poucos a falar sobre isso na mídia.

42 comentários:

  1. posso, se precisar usar o seu texto para promover um debate com alunos do ensino médio da escola 20 de agosto, em SBC, sou integrante do grupo de Iniciação à docência, aluna da metodista e faço Ciências Sociais, estamos desenvolvendo um projeto que traga estas discussões conceituais e pre-conceituais, usando a música na periferia, cultura na escola... e faremos algumas oficinas pra promover estas discussões...obrigada, seu texto realmente é muito bom, de fácil compreensão e parte do cotidiano para explicar estas relações...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Xislene! Pode sim, claro! Mas tenha em mente que não é um texto acadêmico, mas uma abordagem de jornalismo. Muito interessante seu projeto, mande notícias dele. :)

      Excluir
  2. muito bom mesmo!!!!

    nada mais verdadeiro do que a frase:"Misógino não tem namorada. Tem vítima."

    bjssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. (...)Os meninos já recebem uma educação misógina desde a infância, e algumas das maiores vias de solidificação desses conceitos chegam através das mídias, como o humor e a pornografia.(...)> Não li tudo ainda, e não sei se voce faz referencia ao que vou comentar aqui sobre o trecho destacado acima, mas é o seguinte: Uma das grandes colaboradora para a manutenção deste conceito, tem sido por séculos a propria mulher, que como educadora da prole não permite que as filhas, netas sobrinhas ect, ultrapassem essa conceituação, não ultrapassem os limites pre-determinados. Um exemplo bem fácil de comparar está no seriado "Gabriela cravo e canela", onde as matriarcas fazem marcações cerradas contra as garotas da comunidade, e exigem de seus genitores castigos e punições horrendas. Engraçado notar, que no futuro essas vítimas farão o mesmo com as novas gerações!Podemos concluir que tem sido a mulher seu proprio juiz e algoz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Mamuska... Muitas mulheres atual como vítimas e algozes ao mesmo tempo. Infelizmente.

      Excluir
  4. Olá Patty Kirsche!
    Achei fantástica a sua abordagem, e enquanto a lia, desfilava em minha mente as inúmeras situações sociais consideradas naturais e normais, mas que a meu ver, apenas alimentam a misogenia. Creio que seu texto possa ser o ponto de partida para um grande debate socio-cultural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mamuska! Fico muito feliz com seu comentário! Abraços!

      Excluir
  5. Patty, to ligado nas suas palavras e me solidarizo pela igualdade da mulher em relação ao homem. Eu não cheguei a esse nível doentio por ter sido criado junto de outras mulheres "fortes", acho que isso ajudou muito a conscientizar junto da própria formação cultural e muita leitura a respeito. Na prática não é tão fácil controlar, a primeira namorada chorei copiosamente por ter perdido uma conquista minha, olha só... já a segunda, mais "amadurecido", respeitei mais e tivemos que encerrar a relação por ter mudado de cidade, seguimos adiante nossas vidas. Elas eram gordinhas e compartilhavam comigo qualidades e defeitos bem semelhantes, afinal se não tem defeito não é humano, é morto... e elas não deviam nada como mulheres, era algo nosso, não precisavamos dizer pra outros amigos ou colegas para impressionar. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário, Dri! Feliz de saber q vc está acompanhando o blog!

      Excluir
  6. Patty,

    Boa tarde.

    Neste texto basicamente o que é feito é:

    1. Equivaler o machismo com a misoginia
    2. Mostrar maus exemplos de misoginia
    3. Concluir que o machismo é mau.

    Usando esta lógica, eu posso fazer:
    1. Feminismo = misândria
    2. Mostrar casos reais de misândria.
    3. Concluir que o feminismo é mau.

    Agora, se tu distingues o feminismo da misândria, não achas que é de bom tom distinguir o machismo (que não tem nada a ver com a "superioridade do homem sobre a mulher") da misoginia?

    Se tu, por outro lado, optas pelo "salto em frente" e defines o feminismo como "uma ideologia que busca a igualdade", então tens que procurar a definição de "machismo" junto daqueles que se identificam com esse termo. (O mesmo para o termo "masculinismo.")

    Logicamente falando, não faz sentido nenhum arbitrariamente congeminar definições irrealistas e prontamente "refutá-las". Não é justo da tua parte, Patty.

    E, sim, os homens normalmente escolhem as mulheres mais castas. Sabes porquê? Porque casar com uma mulher que já foi "rodada" por muitos homens é um risco muito grande para o homem (em termos de paternidade, erário, fidelidade, etc).

    Ao contrário das mulheres, os homens nunca sabem se o filho é seu ou não. Aliás, hoje em dia muitos homens estão a criar filhos que PENSAM que são seus quando não são (fraude paternal é 100% feita por mulheres).

    A melhor forma de reduzir as probabilidades de ser traído é escolher as mulheres sexualmente mais conservadoras. Isto não implica que não vai ser traído, mas sim que, ao escolher as mais castas, o homem reduz as probabilidades de ser enganado.

    Além disso a castidade está associada à juventude (e os homens preferem as mulheres mais jovens precisamente por serem mais jovens).

    Outra coisa: com a excepção duma minoria de homens religiosamente motivados, a esmagadora maioria dos homens gosta de mulheres que "liberam geral" porque eles querem sexo, e elas dão sexo facilmente.

    No entanto, apesar da maioria dos homens ir atrás dessas mulheres para relacionamentos efémeros e inconsequentes, eles sempre preferem as mais castas para casar.

    Por fim, tendo em conta a continuação da espécie humana, fica uma pergunta; qual das duas mulheres melhor serve a espécie, 1) aquelas que não valorizam a sua castidade ou 2) aquelas que valorizam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patty, achei seu texto muito bem construído!
      Ás vezes demoramos para entender essa cultura de machismo prejudicial às mulheres e até misoginia aqui no Brasil e no mundo...

      Podemos ver pelo nosso "amigo" Lucas de Portugal que na "terrinha" a coisa não é muito diferente!

      Será que o português de Portugal é TÃO diferente assim do nosso que o fez interpretar o texto de uma forma tão diferente do que está REALMENTE escrito pela autora?

      Vou te ajudar um pouquinho, Lucas:
      O texto fala de igualdade de gêneros e que essa tal "igualdade" não existe e ela dá evidências disso por fatos quotidianos e históricos de que existe uma tendência social e cultural ( eu diria até uma crença) de que balança deve pesar a favoro dos homens. O comentário do Lucas, por exemplo, é uma evidência disso!

      O fato da autora dizer que é feminista não desqualifica as ideias apresentadas no texto escrito por ela, Lucas.

      Agora sobre a conclusão do Lucas - A conclusão do texto dele é a de que "as mulheres devem ser castas" e dá várias premissas, uma delas é de que "o pai nunca sabe que o filho é seu".
      Lucas e se eu te disser que hoje as mulheres não precisam de um homem para terem filhos e que existem casos em que elas optam por inseminação artificial se realmente querem ser mães e muita vezes OPTAM por uma "produção indenpendente", porque as mulheres também podem se sentir "inseguras" sobre estar com um cara "rodado", porém querem ser mães e ter uma família. É para se pensar, não é?!

      Bom, o resto do texto do Lucas só afirma o que a Patty diz, que ele crê que existe "mulher para casar e mulher para não casar" e a justificativa dele para isso é "a continuação da espécie humana" (nessa eu ri - pura bullshit).

      Um relacionamento vai muito além dessas análises simplistas sobre as pessoas, Lucas. A construção de uma família mais um pouco além e a "continuação da espécie humana" nem se fala...
      Já pensou se todo mundo começar a se relacionar com a pessoa porque ela é "casta" ou "não casta". Eu não tenho nada contra a "castidade" , mas vou deixar a coisa mais complexa... Imagina se você casa com sua parceira "casta" e depois de um tempo, suponha, que aconteça uma fatalidade e você venha a falecer... Ela tem que ser viúva eternamente? Um pouco injusto, não acha? A vida deve continuar, não é mesmo? Ou você acha que ela é se tornou uma "não casta" e não tem o direito de amar e compartilhar alegrias e vida com outra pessoa (que esteja viva)?

      Bom, eu não me acho feminista e não gosto de me comprometer com títulos, mas acredito que as pessoas devem ser iguais independente de seu gênero.
      Creio também que o mundo é muito grande para julgarmos as pessoas e defirmos elas de forma cartesiana, o ser humano é mais complexo que isso e na prática as coisas mudam a todo tempo!





      Excluir
    2. Obrigadão pela presença, Sam!

      Então, o Lucas nos fez o favor de apresentar aqui o discurso do homem com quem uma mulher jamais deve se relacionar.

      Esse argumento de que a mulher deve se casar virgem para que o homem tenha certeza de que os filhos são seus é bem oportuno. Foi esse pensamento que deu origem a essa cultura de repressão sexual feminina. Ou seja, por motivações políticas e econômicas, crenças religiosas foram manipuladas de modo a construir essa ideologia doente de que mulheres sexualmente ativas têm caráter ruim. Algum dia eu escreverei um texto maior sobre isso.

      É no mínimo curioso, no entanto, que alguém ainda tenha coragem de assumir um discurso como esse, já que hoje existem exames de DNA e métodos anticoncepcionais. Só mais uma prova do quanto o machismo ficou parado no tempo.

      Sobre se assumir feminista, isso é muito importante. Ser feminista significa simplesmente que você luta pelos direitos humanos, por pessoas de gêneros diferentes terem os mesmos direitos, por uma sociedade igualitária, enfim.

      O movimento feminista tem uma história muito bonita, e se temos nossos direitos hoje, ainda que com enormes restrições, é porque antes de nós, outras lutaram muito.

      Essa desqualificação do movimento feminista, chegando ao ponto de mulheres se sentirem constrangidas por se assumirem feministas, é uma mera estratégia da cultura machista a fim de se perpetuar. E de modo algum ser feminista desqualifica meu texto, já que eu faço pesquisa acadêmica na área e tenho um embasamento bastante sólido pra colocar minhas ideias. Contudo, é evidente que se uma pessoa escreve algo, ela acredita naquilo. Logo essa discussão é infrutífera.

      Abraços e apareça sempre!

      Excluir
    3. Bom dia Lucas

      acima vc. escreveu:

      "então tens que procurar a definição de "machismo" junto daqueles que se identificam com esse termo. (O mesmo para o termo "masculinismo.")"


      poderia então por favor nos dar a sua definição?

      Excluir
    4. Oi Rita!

      É complicado tratar um assunto através de definições pessoais. Pra isso existe dicionário, não é? Pois uma pessoa pode alegar que tal palavra tem tal significado pra ela, mas ao usá-la diante de outras, elas entenderão o significado oficialmente aceito e ficarão confusas.

      Eu trabalho aqui com as definições oficiais de feminismo, sexismo, machismo e misoginia. É evidente que para uma pessoa machista, machismo é algo bom; do mesmo jeito que para uma pessoa racista, racismo é algo bom. Certamente todos que têm seus preconceitos têm justificativas bastante "racionais" para eles. :)

      Excluir
    5. Claro!!

      vc. está completamente certa

      mas parece que tem pessoas que acham que podem desconsiderar o significado dos termos tal como aparecem nos dicionários, e dar a eles sua interpretação própria, o mesmo fazem com outros termos e aí vira conversa de doido e sem condições de entendimento

      Excluir
    6. Patty,

      O argumento do Lucas é bastante confuso e cheio de vieses preconceituosos.

      "Então, o Lucas nos fez o favor de apresentar aqui o discurso do homem com quem uma mulher jamais deve se relacionar".[2]

      Excluir
    7. O Lucas busca as mais "castas" porque elas não têm condição de comparar a performance de merda dele com a de outros homens. Toda a cultura em torno da virgindade feminina está relacionada à insegurança de homens que não sabem (ou não querem) satisfazer mulheres sexualmente.

      Excluir
    8. Ei, seu Lucas, quer cair na real?

      Hoje existe um tal de exame de DNA é COMPROVA quem é pai de quem. Não tem mais como não dizer que não é pai. Aqui no Brasil a lei determina que quem é pai tem de sustentar o filho, mesmo que seja fora do casamento. Agora as mulheres inverteram o jogo: aquela que se deixou engravidar por um pé rapado é uma burra; a que se deixou engravidar por um ricaço, deu o golpe do baú.

      Agora vamos falar a verdade de homem pra homem. O único motivo real pelo qual um homem como você deseja uma virgem por esposa é porque tem medo de ser um fracassado na cama. Claro, a dita virgem, por não ter uma comparação anterior, não vai saber se você é bom ou ruim de cama. Mas passa o tempo e um dia ela pode ficar tão chateada do seu mau desempenho que resolve fazer "test drive" com outros. Só aí vai saber que você não é grande coisa.

      É isso aí, cara. Quer ter uma esposa fiel? Converse bem com ela sobre o sexo, pergunte como ela se sente, como gostaria que a coisa fosse feita, do que não gosta. E pro seu casamento ir bem, não se esqueça que tem de haver muitas risadas no seu dia a dia.

      Ah! Sobre a exigência da mulher se casar virgem. Bem, isso tá lá numa lei da Bíblia, que inclusive determina que se o marido não achou a esposa recém casada virgem, então ela deve ser levada à porta da casa dos pais dela e apedrejada até a morte. A prova de virgindade era o sangramento causado pela ruptura do hímen. Só que 15% das mulheres têm hímen complacente e aí não haveria sangramento. E então uma inocente que realmente se casou virgem vai morrer apedrejada. O gozado é que crentes bíblicos citam coisas (como a circuncisão no oitavo dia, quando a vitamina K atinge o nível satisfatório e evita sangramento excessivo) como a prova provada de que a Bíblia foi escrita por um Criador com conhecimento de causa. Perguntei uma vez sobre essa questão do hímen complacente e como então o Criador com conhecimento de causa resolveu a questão para que nenhuma virgem recém casada morresse inocente. Não recebi uma resposta educada.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas

      tenha dó

      vc. escreve "Lê o texto linkado em cima, e aprende como as coisas realmente foram. Nota: o texto foi escrito por uma mulher."

      que nos leva ao Maxismo Cultural?
      acha mesmo que isso é algum argumento que nos convencerá de que vc. está certo?

      acorda criatura...
      e daí que foi escrito por uma mulher?
      só por isso tem mais credibilidade?
      e se eu colocar aqui textos feministas escritos por homens - vc, vai ler e aceitar apenas por isso?

      lá está escrito

      "Mais mudanças com a chegada do patriarcado Cristão.
      A fidelidade matrimonial, exigência antiga feita às mulheres, passou a ser um requerimento junto dos homens."

      só sendo muito alienado para não saber que desde sempre a sociedade sempre permitiu e aplaudiu o macho garanhão, mesmo os casados podiam e faziam suas estrepolias extra conjugais e nunca foram condenados por isso...

      Amor cortês Medieval? - é pra morrer de rir?
      o texto é um romance, um ataque de saudosismo ou um delírio? Por que de fatos verdadeiros ele não tem é nada.

      Engraçado é a autora achando que um dia as feministas vão ter saudade do Patriarcalismo Cristão... mas enfim ela que sonhe como bem achar melhor, é grátis...

      Excluir
    2. Lucas escreve:

      "...mas sim que os homens preferem as mais castas em detrimento das sexualmente promiscuas ou experientes. Há bons motivos para isso."

      sei..
      só as mulheres são promiscuas
      os homens são todos santos

      e dá-lhe versículo bíblico rsrsrsrs

      Excluir
    3. Lucas

      "Segundo, as mulheres não se sentem "inseguras" em estar com um homem sexualmente promíscuo. Elas preferem tais homens."

      é mesmo?
      sua esposa, filha ou mãe tbm? rsrsrsr

      mas eu acho que vc. linkou o texto errado rsrsrs

      mas mesmo assim com mais uma pérola de doer

      "Por alguma razão os últimos 1500/2000 anos da civilização ocidental - a mais bem sucedida civilização da história da humanidade - têm sido marcados por regras e limites à sexualidade humana, especialmente à sexualidade feminina."

      em outras palavras - o Macho dono da mulher

      Excluir
    4. Lucas

      deixe de ser ridículo e mentiroso

      Feminismo nunca pregou promiscuidade feminina

      quem prega e pregou sempre promiscuidade masculina foi o Patriarcalismo Machista..

      E se é fato que os homens podem e devem escolher suas esposas, também é fato que hoje, as mulheres podem e devem fazer o mesmo - e que cada um escolha aquilo que melhor achar, e te garanto que vc. jamis seria um parceiro em potencial para uma grande maioria de mulheres, então, para vc. só a sua opção de ir buscar uma esposa no Oriente srsrsr

      "As mulheres indianas possuíam qualidades como mansidão, submissão, humildade e bondade."

      é justo o que os Machistas sonham com as gueixas japonesas, com as indianas dóceis e submissas - e o feminismo é que prega o ódio ao macho? srsrsrsrsr

      Excluir
    5. Rita Candeu
      Quem prega e pregou sempre promiscuidade masculina foi o Patriarcalismo Machista..

      Acho que a sra. não conhece a teologia cristã e judaica, isso é condenado em ambas o casamento é valorizado e "o homem tenha uma mulher e a mulher a um homem"

      Excluir
    6. A teologia fala isso ?

      é mesmo?

      Judaica diz que podia ter várias esposas
      Todos os grandes Patriarcas tinham várias esposas - portanto sua afirmação acima é mentirosa

      E aqui o assunto não é teológico, mas social, e desde sempre a sociedade (mesmo sendo "cristã") sempre admitiu ou até mesmo aplaudiu o homem garanhão - o macho alpha - aquele que mesmo casado podia ter amantes, aquele que podia tudo, mas é claro que vocês não vão assumir essa verdade incontestável - lhes falta muita honestidade para tanto.

      Excluir
    7. Rita, o assunto não é a teologia mas o feminismo sempre arranja forma de trazer o Cristianismo para a discussão.

      a sociedade (mesmo sendo "cristã") sempre admitiu ou até mesmo aplaudiu o homem garanhão - o macho alpha - aquele que mesmo casado podia ter amantes


      Se calhar é porque as maioria das mulheres vai atrás desses machos alfa.

      Excluir
    8. Rita é mesmo sim.. não eram todos não, os caras que não seguiam isso estavam errados segundo seus próprios preceitos..

      O assunto não é teologia mesmo, mas citei só pra comprovar que existe um erro nesse argumento..

      Não me ofenda de desonesto e afirmo que uma parcela da sociedade aplaudiu esse comportamento.. vc não pode colocar toda a sociedade num balaio só..

      Excluir
    9. Alias não posso deixar de citar que um dos maiores motivadores desse comportamento são as próprias mulheres...

      Esses caras ficam com as mulheres que sabem que eles são comprometidos e não se importam até o contrario diversas pesquisas indicam que as mulheres não se importam de ficar com os homens de outras mulheres e este é até um fator que os torna mais interessante a elas porque em sua concepção ele já foi aprovado por outra mulher, quando a sua mulher é bonita é mais ainda pq elas acreditam que ele tem grande poder que deve ter usado para conquista-la...

      Então te uso este mesmo argumento desde sempre a sociedade (mesmo sendo "cristã") sempre admitiu ou até mesmo aplaudiu o homem garanhão - o macho alpha - aquele que mesmo casado podia ter amantes, aquele que podia tudo e as mulheres até incentivam este comportamento demonstrando grande interesse por eles ficando com eles sendo que eles tem outro relacionamento.
      Mas é claro que a maioria das mulheres e nem alguns homens mesmo não vão assumir essa verdade incontestável (incontestável e provada) por que ai esse mito de que as mulheres são mais santas, comportadas, são sempre as vitimas e nunca a culpada, tem uma moral elevada e são mais fieis do que os homens iria por água abaixo.

      Excluir
    10. PELO AMOR DE ODIN o.o sério que vocês esperam que nós levemos a sério textos misóginos e machistas do Marxismo Cultural? Sério? Sériozinho? Só pode ser brincadeira né.

      Excluir
  8. Lucas, vou tentar sem bem breve contigo, pois creio que não vale a pena discutir com uma pessoa que pensa que é racional, mas não é. Quantos livros de lógica argumentativa você leu? Eu desconfio que nenhum, e se leu não entendeu.

    Mais uma dica para ti: Procure ler sobre lógica e livros (além desses bloguinhos contra "marxismo Cultural" e blá blá blá). Começa a pensar em situações do mundo real e não desse mundo "perfeito" que você tenta construir e não existe!

    Seus argumentos são bastante ruins, é a evidência de que as pessoas devem tomar distância de gente como você.

    No seu texto você afirmou mais coisas estúpidas como:
    1 - A mulher se beneficia com essa cultura machista.Pergunta: Onde?

    2 - "As mulheres ocidentais odeiam os homens". (Texto base: http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/02/fugindo-mulher-ocidental-e.html) - Não é verdade! Quando você diz "temos outras opções" e mostra esse texto, você se compromete muito! Então quer dizer que vocês "homens" podem escolher mulheres "castas" na Índia, por exemplo... O que é isso? Casamento virou mercadoria agora? Cadê o respeito? Cadê o amor? Francamente! Tenho nojo de gente que pensa assim!

    3 - agora você cometeu uma falácia de generalização (quando você usa um exemplo para explicar o todo) . Aqui quando você cita esse outro texto ruim desse blog - "Segundo, as mulheres não se sentem "inseguras" em estar com um homem sexualmente promíscuo. Elas preferem tais homens". Eu não prefiro "tais homens", Lucas. Seu argumento é falacioso :D

    4 - Meu exemplo sobre você casar "casto" com uma outra "casta" e morrer não é ridículo é uma suposição que pode acontecer. As pessoas morrem o tempo todo.
    Aprende que quando você escreve algo deve pensar em todas as possibilidades. Ora, se ela se casou, perdeu a "castidade" e o marido morreu. Digamos que ela não tenha tido filhos. E ai? Cadê a "continuação da espécie humana". Agora amplifica esse exemplo: imagina que todos são "castos e castas". Pensa em uma situação em que haja guerra, não só um, mas vários morrem... A mulher vai ter que ficar sozinha?
    De acordo com o seu mundo de "castos e castas" sim!
    Ela teria que ficar sem filhos, sem ninguém... e cadê a tal "continuidade da espécie humana"? Afinal de contas a casta, ficou "velha"(como você apontou) e não pode ter outra chance...
    Lembrando que só coloquei seus argumentos diante de uma situação prática e eles se mostraram um tanto quando falhos!





    ResponderExcluir
  9. Cara, você é muito baixo!
    Não dá para argumentar racionalmente contigo!

    "Mais vale uma casta na Índia do que uma rodada no Brasil ou em Portugal."

    O que você quis dizer com esse lixo de comentário?
    Já que a gente não entende o português da terrinha traduz ai para gente.

    Só para lembrar você deve ter uma mãe e ela deve ser de Portugal... Só para lembrar...

    Lucas, faz um favor! Fica quietinho para as pessoas gostarem mais de você!

    ResponderExcluir
  10. "Então eu cheguei à adolescência e escutei minhas amigas dizerem que eu não podia transar logo de cara com os rapazes se eu quisesse namorar. Porque os caras não respeitam as moças que fazem sexo no início da relação."

    Mas é o certo, as mulheres deveriam fazer o mesmo não procurando caras rodados.. são os caras que mais vão a desvalorizar.. ah esqueci de um pequeno detalhe.. as mulheres(uma grande maioria, mas não todas) procuram justamente esse tipo e quando mais babaca melhor..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua vida sexual deve ser muito chata. Só acho... rs

      Excluir
  11. Lucas, eu tenho respeito aos seus pontos de vista apesar de não concordar com boa parte delas. De forma alguma a Patty é misândrea, tenho amizade com ela desde da infância.

    O melhor de facto é aprender a ser filógino. :) Abraços e boa sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela presença, Dri! Você é sempre bem-vindo em meu blog!

      Abraços!

      Excluir
  12. Sabe,o orgulho do homem machista e sua insistência em defender a misoginia é impressionante....e apesar de a gente fazer piada e tal,é algo que deve ter mais atenção,como a autora sugere em seu texto.Misoginia tem que ser criminalizada.Vejo que infelizmente,ela ainad é considerada "liberdade de expressão" ou "opinião",ao contrário do racismo e da homofobia.
    Eu acho preocupante caras como o Lucas escrever este bando de bosta ofensiva e no final,ser uma "opinião",assim como os diversos blogs,videologs,paginas de Facebook,Orkut,etc que pregam livremente o ódio contra as mulheres.Curioso é que nós sempre temos que nos justificar,quando denunciamos violência masculina,que não somos misândricas,mas os homens são livres para serem misóginos...
    Enfim,muito preocupante e tinhamos que ter mais debates sobre.
    abraços e excelente texto ^_^!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela presença, Madressilva. Seja sempre bem-vinda!

      Excluir
  13. Patty, boa noite. Amei seu texto! Fui e sou vítima de um misógino. Mesmo depois de ter colocado um fim no relacionamento há 6 meses. Temos um filha, de 2 anos e 6 meses. O pior de tudo, é ver ele se fazendo de vítima, e me culpando por tudo e com todos, e o pior, as pessoas acreditam nele. Eu que sou a agressiva, a desiquilibrada, a bipolar....Não assume seus erros, nem que esteja frente a frente com a morte.Ele "acabou comigo", dia após dia, tento me reerguer, me valorizar, não me culpar e etc...., mas é muito difícil , ele não me deixa em paz, mesmo achando que é o tal. Estou em tratamento psicológico. Esses dias, não ando nada bem, ele apareceu novamente, com suas agressões verbais, psicológicas, e seu desiquilíbrio. E o pior, ele é alcoólatra. Foi um amor que se tornou no meu inferno. Mais eu confio em Deus, e sei que isso vai passar.

    ResponderExcluir
  14. Convivo com um misógino tbm... :( Aos poucos... está acabando comigo.

    ResponderExcluir

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!